quinta-feira, 13 de março de 2008

OPHRYS TENTHREDINIFERA #1

Torre, Montemor-o-Velho, Beira Litoral, 03/03/08.

A Ophrys tenthredinifera Willdenow var. praecox Rchb. fil. ex E.G. Camus, Bergon & A. Camus, como o nome indica, tem uma floração bastante prec
oce e, ao mesmo tempo, curta. Com 2 (3) tubérculos, subglobosos ou subovóides, sésseis ou subsésseis. Caule erecto, às vezes ligeiramente curvado, com (6) 8 - 14 (20) cm. Folhas basais oblongas a lanceoladas, subobtusas a agudas, 3,5 - 12 cm de comprimento por 1 - 4 cm de largura. Inflorescência com 1 - 4 (5) flores, frouxa. Brácteas inferiores, 14 - 40 mm de comprimento por 5 - 10 mm de largura, ultrapassam o ovário, lanceoladas a oblongo-lanceoladas, agudas, verde-claras, mas às vezes coloridas como as sépalas. Sépalas côncavas, glabras, rosadas, de um rosado púrpura a esbranquiçado, com as nervuras verdes; as laterais com (8) 9 - 15 mm de comprimento por 6 - 9 (10) mm de largura, patentes, simétricas, de ovado-arredondadas a elípticas; a central com (8,5) 9,5 - 13,5 mm de comprimento por 6,5 - 10,5 mm de largura, oblonga, erecta. Pétalas triangulares, 3,5 - 6 mm de comprimento por 2 - 5 (6) mm de largura, papiloso-aveludadas na margem interna, rosadas. Labelo com (9,5) 10 - 18 (20) mm de comprimento por 9 - 16 (18) mm de largura, muito convexo, estreito, emarginado, aveludado, com pequenas calosidades, terminando num apículo reduzido, obtuso e inflexo, amarelo-esverdeado; a zona central castanho-avermelhada, com margem amarela, larga; mácula pequena, subtriangular, frequentemente bilobada, acastanhada a violácea, rodeada por uma linha fina esbranquiçada. Ginostémio com 4,5 - 6 mm, muito curto e muito obtuso, verde ou verde-amarelado no dorso e amarelo ou alaranjado nos lados, não apiculado. Ovário cilíndrico, pouco retorcido; cavidade estigmática esverdeada, estreita, com a superfície interior castanha-escura e o campo basal avermelhado.
Planta de s
ítios soalheiros a ensombrados, em solos alcalinos a levemente ácidos, de secos a frescos: clareiras de matagais e de bosques.
Ocorre na Beira Litoral, Estremadura, Ribatejo, Baixo Alentejo e Algarve.
Monte de Maria Pares, Condeixa-a-Nova, Beira Litoral, 07/03/08.

As outras imagens foram registadas em Alfarelos, Soure, Beira Litoral, a 05/03/08.

1 comentário:

lightalive disse...

Jamais pensei que no Alentejo houvesse tamanha variedade e espectacularidade de orquídeas!!
Parabéns!